Big Data Governance – desafios de Governança nas telefônicas – tarks – ampliar o valor dos dados. esse é o nosso negócio.

Big Data Governance – desafios de Governança nas telefônicas

Pela própria natureza das operações, as empresas telefônicas sempre processaram alto volume de dados, mesmo antes do termo Big Data ser difundido. Empresas desse setor possuem milhões de clientes usuários, bilhões de dados referentes as chamadas, bilhões de dados de sensores e relatórios de uso da rede de transmissão processados diariamente.

Por esses motivos, essas empresas sempre investiram em tecnologia de ponta para manter seus ambientes informacionais aptos a processar todo esse volume de dados. Não está sendo diferente com as tecnologias de Big Data, amplos investimentos em pessoas e produtos especializados estão sendo feitos para que sejam construídos soluções ainda melhores para a extração de valor de todos os dados que as telefônicas possuem.

As telefônicas devem desenvolver processos para extração de valor de dados estruturados, semi-estruturados e não-estruturados, devem implantar mecanismos para extração de insights a partir do comportamento de seus clientes e padrões de uso (chamadas, localização, reclamações, mudanças nos planos de contrato, entre outros), preferências e interesses desses clientes em real-time. Devem desenvolver mecanismos para identificação e prevenção de fraudes, encontrar formas para fazer promoções e propagandas direcionadas aos clientes corretos, no momento certo, e devem garantir que todos os setores da empresa possam usufruir desses recursos de alta tecnologia.

São empresas de grande porte e com grande número de colaboradores, e difundir e prover as informações em todos os setores da empresa, aumentar a assertividade dos resultados obtidos, garantir a segurança, sigilo e privacidade, além de garantir o uso de informações atuais, são reais desafios para as equipes de projetos dessas telefônicas.

Os recursos da Governança da Informação podem prover os mecanismos para aumentar a colaboração entre as equipes e os diversos setores da empresa, podem manter um ponto único de acesso aos detalhes de todas as informações existentes na corporação e manter as restrições de Segurança e Privacidade necessárias.

A garantia e tratamentos de qualidade de dados providos pela Governança da Informação também podem ser implantados a medida em que os projetos de Big Data nascem e utilizam diversas fontes de dados internas e externas nas análises descritivas, preditivas e prescritivas. Já que o grande volume de dados das telefônicas traz um potencial imenso para extrair novas informações e insights nos processos de análise, mas também potencializa demasiadamente o efeito da baixa qualidade dos dados nas origens.

Outro aspecto importante nos projetos de Big Data em telefônicas é a necessidade de se garantir a rastreabilidade da informação, a fim de garantir a identificação da origem da informação, garantir que o dado é atual, garantir que todas as fontes necessárias foram realmente contempladas naquela análise, além de prover informações para as empresas regulatórias. O mapeamento sempre atualizado dos processos e tratamentos empregados em todas as origem de dados do ambiente Big Data, é mais um recurso que pode ser obtido com Governança da Informação.

A medida em que os projetos de Big Data avançam, rapidamente pode deparar-se com grande volume de dados com problemas ou pontos de melhoria e diversas ações precisam ser tomadas sem planejamento prévio, o que gerará retrabalho e desperdício de recursos. Uma forma de minimizar e até mesmo extinguir esses problemas é a implantação de mecanismos de Governança da Informação para:

  • criação de um Glossário de Termos Corporativos;
  • envio de alertas aos responsáveis pelos dados;
  • definição das Políticas e Regras de Governança;
  • monitoramento contínuo da qualidade;
  • geração periódica de relatórios de qualidade.

 
A criação de um Glossário de Termos Corporativos para ser acessado por toda a empresa, de forma ágil e fácil, traz o benefício de manter uma linguagem comum sem dubiedade e permite divulgar os responsáveis pelas dados e assuntos, a medida que pontos de melhoria são identificados, podem ser facilmente comunicados aos responsáveis e minimizar o tempo de atuação na correção.

As Políticas e Regras de Governança possibilitam que sejam descritos todas as definições de forma de trabalho, formas de tratamento dos dados, regras para validação dos dados e sistemas, classificação das informações, definições de segurança e privacidade, entre outras, e possibilita a ampla divulgação das definições da empresa.

Processos de monitoramento contínuo da qualidade permitem que ações sejam programadas de forma automática para correções e tratamentos, permite a programação de paradas do processo para atuação direta dos responsáveis, permite o envio automático de alertas e a geração periódica
de relatórios de qualidade para acompanhamento da evolução das fontes de dados e planejamento de forma contínua de novas ações e tratamentos necessários.

Os processos de Governança da Informação visam aumentar a eficiência dos processos minimizando os desperdícios e evitando o retrabalho, ampliar e difundir o conhecimento dos dados, garantir a rastreabilidade, garantir uma linguagem única, monitorar de forma contínua os processos e, principalmente, garantir a confiabilidade das informações. Aspectos relevantes para projetos de Big Data de empresas de qualquer setor, mas de maior importância para as telefônicas que lidam com volume de dados realmente muito alto.

 

Diogo Horta
Fundador & CEO da tarks

Compartihe no: